O Espírito Santo

João Wesley explica porque o ministério do Espírito Santo é tão importante na vida do crente: “Sem o Espírito Santo não podemos fazer nada, a não ser acrescentar pecado sobre pecado”. O evangelista inglês buscou deixar bem claro, com essa afirmação, que o Espírito Santo não é uma influencia como dizem os hereges; é a Terceira Pessoa da Santíssima Trindade; acha-se ativo na vida da igreja, consolando-nos e dirigindo-nos em todas as coisas.

Neste artigo, veremos o que a Bíblia ensina a cerca de sua personalidade, atuação e obra. Também veremos os pecados cometidos contra Ele e o seu ministério nos dias de hoje. Tenho certeza de que na conclusão, todos haveremos de conscientizar-nos: nossa preocupação concernente ao Espírito Santo não deve se apossar-nos dele; e, sim, permitir que Ele se aposse de nossa alma, de nosso coração e de nosso corpo; somos o seu templo e santuário.

A pessoa do Espírito Santo

A Bíblia nos mostra o Espírito Santo atuando como um ser divino do Gênesis ao Apocalipse.

Não fosse o Espírito Santo uma pessoa a Bíblia no-lo apresentado como tal? O que é, porém, uma pessoa? É um ser cônscio de sua existência, dotado de autodeterminação e que possui capacidade para agir. Não obstante essa definição ser mais adequada ou apropriada ao ser humano utilizemo-la a fim de compreendermos a personalidade do Espírito Santo

O Espírito Santo age como uma pessoa

O espírito Santo age e interage como uma pessoa completa e perfeita: fala ( At 13. 2) direciona (At15.28); revela (At 20.23); ensina (1Co 2.13); testifica (Hb 10.015). Tivéssemos espaço, poderíamos citar outros versículos e passagens da Bíblia, provando que o Espírito Santo é de fato, uma pessoa. E contra a Palavra de Deus de nada valem os argumentos e sofismas humanos.

A divindade do Espírito Santo

Além de ser uma pessoa completa e perfeita, é o Espírito Santo também divino; assim no-lo apresenta a Bíblia. Não é sem razão que o identificamos, teologicamente, como a Terceira Pessoa da Trindade. Conforme veremos, a seguir, Ele possui os mesmos atributos existentes no Pai e no filho, segundo as Escrituras. Além disso, atuou em todos os atos divinos, pois divino Ele é.

O Espírito Santo é tratado como Deus na Bíblia

As Sagradas Escrituras não se limitam a expor a personalidade do Espírito Santo; tratam-no igualmente como Deus. Observemos esta passagem de Atos: “Disse, então, Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo?… Não mentiste aos homens, mas a Deus” (At 5.3,4).

Pode haver alguma duvida sobre a divindade do Espírito Santo? Detenhamo-nos, pois nos atributos divinos que lhe são conferidos.

Atributos naturais e imanentes

Os atributos naturais fazem de Deus o que realmente Ele é: o Ser Supremo por excelência. Sendo também o ESPÍRITO SANTO também Deus, possui Ele, além dos atributos naturais, os iminentes, através dos quais põe-se Ele em contato com a criação. Por conseguinte, o Espírito Santo é eterno (Hb 9.14); tem vida e transmite vida (Gl 6.8).Ele é onisciente (Sl 139.7); onipotente (Lc 1.35). O que tais atributos revelam? O Espírito Santo é Deus: somente Deus é quem possui semelhantes qualidades.

A Obra do Espírito Santo na vida do Crente

Ao tratar da obra do Espírito Santo na vida do ser humano, J. Blanchard é ao mesmo tempo abrangente e sintético: “O ministério do Espírito Santo é levar o impenitente ao salvador e torná-lo parecido com Ele”. De fato a sua principal obra é levar-nos ao ideal divino: “Porque eu sou o Senhor vosso Deus; portanto vós vos santifiqueis e sereis santos, porque eu sou santo” (Lv 11.44). Por isso ele é denominado Espírito Santo: santifica-nos, torna-nos semelhantes a Deus. Sua obra tem inicio em nos quando nos convence do pecado.

A convicção de pecado

Ignorando o homem natural as demandas bíblicas quanto a uma vida piedosa e reta diante de Deus, o Espírito Santo convence-o do pecado, da justiça e do juízo, constrangendo-o a receber a Cristo Jesus como Salvador Redentor (Jo 16.8). No entanto conforme ensinada a bíblia, é possível resistir ao chamamento do Espírito Santo (Mc 16.16; At 7.51).

A santificação

Conforme já ressaltamos, a santificação do crente é a principal obra do Espírito Santo que, neste processo, nos constrange a sermos como a luz da aurora (Pv 4.18). Conhecido também como o Espírito de Santificação (Rm 1.4), tem Ele como propósito santificar-nos e dar-nos poder sobre o pecado.

A plenitude de poder

Como pentecostais cremos na atualidade do batismo no Espírito Santo e dos dons espirituais.O batismo no Espírito Santo é o revestimento que nos concede poder não apenas sobre o pecado, mas também para testemunhar de Cristo (At 1.8). O sinal que evidencia o batismo no espírito Santo é o fala novas línguas (At 2.4; At 10.46; At 19.6).

A função dos dons espirituais, que o crente recebe no ato do batismo, ou depois deste, é dotar a Igreja de poderes sobrenaturais, para que ela seja edificada e cumpra a sua missão de forma eficaz (At 19.6; 1 Co 12.7; 14.12).

Pecados contra o Espírito Santo

Além da blasfêmia contra o Espírito Santo, considerado o mais grave dos pecados, há outras ofensas, igualmente graves e seriíssimas, que podem condenar-nos à condenação e perdição eterna. Vejamos, em primeiro lugar, por que a blasfêmia contra o Espírito Santo é imperdoável.

A blasfêmia contra o Espírito Santo

Os fariseus diziam grosseiramente, que Jesus expulsava os demônios com o poder de Belzebu. A advertência que lhes dirigiu o Senhor foi mais do que enérgica: foi sentencial: “Portanto, eu vos digo: todo pecado e blasfêmia se perdoará aos homens, mas a blasfema contra o Espírito não será perdoada aos homens” (Mt 12.31).

Afinal em que consiste esse pecado? Em palavras ofensivas e desrespeitosas ao Espírito Santo. Mas por que é um pecado imperdoável? Vejamos a explicação do sumo sacerdote, Eli, ao repreender os filhos profanos: “pecando homem contra homem, os juízes o julgarão; pecando, porém, o homem contra o SENHOR, quem rogará por ele?” (1 Sm 2.25).

Resistência contra o Espírito Santo

Este foi o pecado que caracterizou os filhos de Israel quer no Antigo, quer no Novo Testamento (At 7.51). O que significa resistir ao Espírito Santo? Significa opor-se, consciente e premeditadamente, contra a ação regeneradora do Espírito Santo. Os que assim procedem correm um sério risco de serem condenados ao lago de fogo, a menos que se arrependam.

Entristecer o Espírito Santo

Entristecer o Espírito Santo é opor-se a ele; é ignorar lhe a vontade e adotar o mundanismo como norma de vida. Aos irmãos de Efésios, exorta Paulo: “E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção”(Ef 4.30).

O selo a que se refere o apóstolo não é o batismo no Espírito Santo; é a garantia de vida eterna que temos nos méritos de Nosso Senhor Jesus Cristo. Caso contrário, somente os batizados no Espírito Santo entrariam no céu. Em Efésios 1.13, ressalta Paulo, que o selo é-nos concedido no ato de crer e não no ato do batismo no Espírito Santo.

Esse post foi publicado em Os mais interesantes. Bookmark o link permanente.

3 respostas para O Espírito Santo

  1. Camile disse:

    Muito bom esse estudo sobre Espiríto Santo, é sempre bom compeender sobre essa pessoa importante na vida do crente, gostei muito da parte que vc fala sobre ” A resistencia conta o Espiríto Santo” hoje em dia tem muitos que ainda resiste não só impios mas crentes também. A Paz do Senhor

  2. cristiano barbosa disse:

    que maravilha isso e muito bom e de Deus mesmo

  3. josy santos disse:

    foi muito bom saber que a garantia de vida etérna não é só para os batizados no Espirito Santo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s